HINO DE SINTRA Património Mundial

10,00

REF: Som mp3_HS Categorias: , Etiquetas: ,

Descrição

Acessos: 87

HINO DE SINTRA PATRIMÓNIO MUNDIAL

Sintra foi o primeiro Local Europeu inscrito pela UNESCO como Paisagem Cultural. O Valor Universal desta paisagem foi, então, reconhecido como constituindo uma abordagem pioneira ao paisagismo romântico e percursora da interpretação desta nova forma de pensar noutros locais da Europa. Na sua 19ª sessão, em Berlim, o Comité do Património Mundial reconheceu, ainda, Sintra como sendo um exemplo único de local que preservou a sua integridade fundamental, isto é, no qual se conservaram evidências significativas das sucessivas culturas que o ocuparam.
20 anos de Sintra Património Mundial.

In: https://www.parquesdesintra.pt/tudo-sobre-nos/patrimonio-mundialunesco/
Este estatuto de Sintra é um universal privilégio e tem despertado nas instituições sintrenses, nacionais, europeias e mundiais inúmeros e regulares eventos culturais, artísticos, regionalistas, patrióticos, turísticos…

Faz falta um “HINO DE SINTRA Património Mundial”, que sublinhe essa fraternidade.
O presente livro apresenta um projecto – devidamente composto pelas pautas e letras da melodia, não só para a intimidade do canto e piano, mas também para a magnificência da filarmónica.
O poema está disposto em duas estrofes, unidas ao comum refrão e tenta transmitir uma mensagem de informação e louvor à História e à Beleza que Sintra oferece.
Os turistas que de todo o mundo que visitam foram 2.233.594, só em 2015 !

Principais incidências sintrenses na mensagem poético-musical do

HINO DE SINTRA PATRIMÓNIO MUNDIAL:

A primeira estrofe realça:
– O monte da Lua, lendas, mistérios, 7.000 anos de história.
– D. Afonso Henriques, que tornou Sintra cristã e fidalga.
– D. Manuel, o venturoso Descobridor das Índias (Vasco da Gama, 1498), que intervencionou e consagrou substancialmente os Paços de Sintra.
– Os poetas e escritores, como Camões, Eça de Queirós ou lord Byron, que destacaram Sintra, contribuindo para uma dignidade que futuramente (Unesco, 1995) a consagrará como Património Mundial.

A segunda estrofe
– faz uma ligação trans-continental de Sintra à Europa e ao Mundo
– situa Sintra geograficamente no universo da Europa, que aí toca no Oceano Atlântico.
– O cabo da Roca abre a missão de Portugal aos horizontes do Mundo, quando o último olhar dos marinheiros descobridores deixa com saudade a Serra de Sintra.
– O palácio da Pena faz parte da Alma lusitana e é um monumento universal ao romantismo e à paixão.

O refrão
– traça as linhas gerais e paisagísticas das dinâmicas cívicas e do encanto romântico de Sintra, secularmente gerador de contextos de felicidade, com os seus arvoredos, trabalho, segredos, paixões, palácios, castelos, fábricas, aldeias, serra, mar, luar, fadas, flores, mistérios e música…
– Todos estes valores constituem e enobrecem Sintra como Património Mundial e provocam grande orgulho e profundo bem-estar, próprio da benévola universalidade que só se respira em raros lugares do Mundo.

____________________________________

LETRA:

1.
Em Sintra as estrelas e a lua
trazem do céu os sonhos que há em nós,
e pelos caminhos da memória
lemos a história
dos nossos avós.

O nosso obrigado ao grande Henriques
e ao Dom Manuel, Primeiro e Universal,
e aos Poetas
que tanto a sublimaram
que agora é Património Mundial!

Refrão:

Sintra de arvoredos,
Sintra de segredos,
de trabalho e de paixões.

Palácios e ameias
fábricas e aldeias
enchem-nos de orgulho os corações.

Na serra ou no mar
ouvimos ao luar
as fadas e as rosas em serenata,

Por isso as saudades ficam
e se multiplicam
na luz doce cor de prata… (bis)

2.
A Europa é em Sintra que abre os braços
e estreita os laços com o Mar Oceano
e num beijo fundo a espuma toca
o Cabo da Roca
e do Destino humano.

Aí abre a Serra os horizontes
e sagra os montes de azul infinito
e a Pena é um milagre de esplendor
onde o Amor
se impõe, como um Grito!

Ao Refrão

________________________________________________________

MÚSICA:

HINO DE SINTRA PATRIMÓNIO MUNDIAL  (versão piano/coro) [Música e Letra: Altino M Cardoso]

____________________________________________________________