GCAD – Cantigas da VINHA 2

REF: Som mp3_V2 Categorias: ,

Descrição

O GRANDE CANCIONEIRO DO ALTO DOURO comporta três volumes (1.920 páginas), com uma recolha de 1.150 canções tradicionais do Alto Douro Vinhateiro, recolhidas pelo autor (Altino Moreira Cardoso) em quintas com epicentro em Godim e Loureiro, no concelho do Peso da Régua, donde é natural.

Naturalmente, a maior parte dessas canções tem como temática as vindimas, em que participava sazonalmente uma mão-de-obra (homens, mulheres e rapazes das cestas) rogada nos arredores serranos.

A grande quantidade de cantigas da vinha motiva neste website uma amostragem privilegiada, distribuída por quatro grupos.

________________

EXEMPLOS

Carinhosa (GCAD I, 131) [Recolha e harm AMC]

– Se o loreiro num tibesse
pelo meio tanta rama
subia por ele acima
ia ter à tua cama.
Refrão
Carinhosa,
oh! minha carinhosa,
oh! minha cara linda,
oh! meu botão de rosa!
– Ó loreiro, ó loreiro,
ó loreiro ramalhudo
julguei que me eras liale
e fostes-me falso em tudo.

__________________________

À HORTA (GCAD I, 48) [Recolha e harm AMC]

Quando vou à horta,
quando vou e venho,
já me não importa
do amor que tenho!
Do amor que tenho
já me não importa:
quando vou e venho,
quando vou prà horta.
O meu amorzinho
anda carrancudo
por lhe não falar
vezes amiúdo.
Vezes amiúdo
não lhe hei-de falar:
se anda carrancudo,
deixá-lo andar!
(Constantim e Pegarinhos, Agosto de 1959)

_____________________________

Arregaça (GCAD I, 105) [Recolha e harm AMC]

Fostes dezer ó meu pai
que eu andaba coradinha
o Meu pai te respondeu
que esta cor foi sempre a minha.
Refrão:
Arregaça, arregaça,
arregaça o teu bestido;
arregaça, arregaça,
as calças ó teu marido.
Rua abaixo, rua acima,
toda a gente me quer bem:
só a mãe do meu amor
num sei que raiba me tem!
Crabo branco na janela
é sinal de casamento;
menina, recolha o crabo
que o casar inda tem tempo.

___________________________

Carambas!   (GCAD I, 129) [Recolha e harm AMC]

Ondas do mar, abrandai,
Carambas, carambas!
Eu quero caçar um peixe…
Carambas, carambas!
Mas, oh, que carambas!
Eu quero deixar o mundo,
Carambas, carambas!
Antes que o mundo me deixe…
Carambas, carambas!
Mas, oh, que carambas!
Ondas do mar, abrandai,
Carambas, carambas!
Eu quero passar além…
Carambas, carambas!
Mas, oh, que carambas!
Qu’ria ber o meu amor,
Carambas, carambas!
Que é quem eu quero bem…
Carambas, carambas!
Mas, oh, que carambas!

_________________________

Aqui, aqui, aqui! (GCAD I, 100) [Recolha e harm AMC]

Aqui, aqui, aqui,
Aqui, agora, agora,
Aqui, neste recantinho,
É aqui que se namora.
Aqui, aqui, aqui,
Aqui é qu’eu hei-de estar,
Aqui, neste recantinho,
Toda a noite a namorar!
Toda a noite a namorar,
Toda a noite a dar paleio,
É um regalo andar
Com seu amor ao passeio!

Com seu amor ao passeio
Seu amor a passear,
É um regalo na vida
Noite e dia a namorar!

Aqui, aqui, aqui,
Aqui é que se está bem,
Ai ao pé do meu amor,
Só com ele e mais ninguém!

_____________________________

Água leva o regadinho (GCAD I, 72) [Recolha e harm AMC]

– Água leba o regadinho,
água leba o regador…
enquanto rega e não rega,
bou falar ao meu amor.
Refrão:
Ó balancé, balancé,
balancé da nebe pura,
ó minha Salve Rainha,
ó minha ‘bida, doçura’.
– Água leba o regadinho,
água leba e vai regar…
enquanto rega e não rega,
ao meu amor bou falar.
– Água leba o regadinho,
pela minha fonte abaixo…
escorreguei e caí,
cubrei o fundo ó tacho.

________________________

As penas do verde gaio (GCAD I, 108) [Recolha e harm AMC]

As penas do Berde Gaio
são berdes e amarelas
num te incostes senão caio,
num me toques nas canelas.
Refrão:
Ai, ó Berde Gaio,
bai de rás trás trás…
que é do meu amor,
que é do meu rapaz?
Ai, Berde Gaio
bai de rus trus trus…
que é do meu amor?
stá pró Bom Jesus.
Incontrei o Berde Gaio
lá im baixo na ribeira,
c’uma guitarra na mão
para ir prá brincadeira.

__________________________

Violetas ao comprido (GCAD I, 603) [Recolha e harm AMC]

À beira do rio nacem
Bioletas ao comprido…
Inda ontem me disseram
Que num casabas comigo.
Eu casar contigo hei-de,
Mas per ora inda não…
Amanhã, por esta hora,
Te darei a decisão.
Fui ao Porto, fui a Braga,
Fui à cidade maior,
Não achei que te trazer,
Minha sucena (*)do sol.
(*) sucena=açucena

___________________________________________________________________